sábado, maio 30, 2020

Leonor Nazaré, 2020

"Nos últimos meses as salas das escolas e liceus ficaram vazias pelas razões que todos conhecemos e foi favorecida, também no ensino, a tele-realidade. Como recurso continuado e de forma prolongada, ela terá efeitos devastadores na formação psico-social, humana, afectiva e até cognitiva de crianças e adolescentes, pelo que o meu voto mais sincero é de que passemos agora a preferir a imunidade de contacto à debilidade que advém da hiper-protecção. Nas escolas, como nos outros espaços, é preciso invadir os lugares com a alegria que a vida plena e a força interior trazem sempre. Não há vírus que os vença nem que sequer deles se aproxime. Obrigada”.  Transcrito daqui
Num minuto nos tornamos mais vivos - talvez seja esse o verdadeiro sentido de curar. Neste minuto e meio, a propósito da exposição de Paulo Cutrica, Leonor Nazaré, curadora e mestre, abala-nos docemente, atentamente. Acompanho-a no voto que faz, e quisera poder mover outros ao mesmo, pela força que o desejo e a alegria têm.
Tudo isto vindo das redes sociais - onde a Fundação Calouste Gulbenkian publica regularmente imagens destacadas da sua imensa coleção de exposições, que são votadas, e posteriormente comentários de curadores. Na semana anterior, a obra mais votada fora «Neg. 904 Sala 2-06, Liceu Sá de Miranda, Braga, 13.05.99» de Paulo Catrica, que Leonor Nazaré comenta neste  breve video, assim cuidando de abrir as portas de melhor futuro.

quinta-feira, maio 28, 2020

Interactive Map: Gender-Diverse Cultures

Interactive Map: Gender-Diverse Cultures: On nearly every continent, and for all of recorded history, thriving cultures have recognized, revered, and integrated more than two genders.



muito bom

quarta-feira, maio 06, 2020

O principal

"O que é o principal?"
Aqui, ao minuto 22:27, Filipa Leal, a propósito de um livro de Mónica Baldaque, "Mulheres com máscaras de ferro", conta uma pequena história.
Agustina responde à pergunta da filha, "O que é o principal?", com uma lição do Livro do Bambi, a sabedoria da velha perdiz: "o principal é resistir a levantar vôo quando se ouvem os tiros".
Mesmo Agustina Bessa Luís, que dizia que nascera adulta, tinha lido este livro para crianças, ou visto o filme...
Ler em família é fundamental.

Vejam aqui, serviço público de cultura e cidadania, RTP. Episódio 32, 2020.05.05
NADA SERÁ COMO DANTE, RTP2
Play - Nada Será Como Dante
ep. 32 27m
Artes e Cultura
12AP
Inspirados pelo universo dantesco d´A Divina Comédia, Filipa Leal e Pedro Lamares apresentam-nos, todas as semanas, um programa com Inferno, Paraíso e um Purgatório a meio com perguntas, dúvidas e confronto de argumentos para reflexão. Em cada uma das partes, nem sempre opostas, há segmentos de leitura, reportagens e rubricas voltadas para a importância da palavra escrita. Os livros que nos mudam, as histórias que nos levam em viagem e as palavras que viajam e mudam o (nosso) mundo. É um programa de Literatura feito com a certeza de que, por melhor que seja, nada será como Dante

terça-feira, maio 05, 2020

Dia Mundial da Língua Portuguesa - Padre António Vieira



Floresça, fale, cante, oiça-se e viva a portuguesa língua Comemorando-se a cinco de maio o Dia Mundial da Língua Portuguesa, a Biblioteca Municipal António Botto entendeu ser de especial importância, numa altura em que, por força da pandemia em curso, estamos também condicionados em termos comunicacionais, comemorar a nossa língua como principal instrumento de união de todos os seus falantes. Queremos revelar o prazer da língua, emocionarmo-nos com as palavras, partilhar a mestria dos grandes escritores para com eles aprender e crescer. Para isso escolhemos um dos maiores oradores de todos os tempos, padre António Vieira, o imperador da língua portuguesa, como lhe chamou Fernando Pessoa. Lançámos esse desafio à Andante, Associação Artística, através da sensibilidade e competência inigualáveis da Cristina Paiva e do Fernando Ladeira, e produzimos um vídeo de 13 minutos que atravessará parte da sua extensa obra. Este vídeo (13 minutos) contém excertos das seguintes obras do Padre António Vieira: Sermão de Santo António aos Peixes Sermão da sexagésima Carta ao Padre provincial do Brasil Carta à Câmara do Pará Carta a D. João IV Sermão do Espírito Santo Sermões e ainda excertos das obras: Curso de Literatura Portuguesa de Camilo Castelo Branco Livro do Desassossego de Bernardo Soares Mensagem de Fernando Pessoa Carta a Pêro Andrade Caminha de António Ferreira Criação: Cristina Paiva e Fernando Ladeira Interpretação: Cristina Paiva Música: Hovatoff Vídeo e som: Fernando Ladeira Produção: Andante Associação Artística Patrocínio: Município de Abrantes

sábado, maio 02, 2020

Paulo Varela Gomes - Última Aula: Do Sublime em Arquitectura





ai

saudades

Três Tristes Tigres - Língua franca


com Regina Guimarães
Depois da terra arrefecer
Sem o tempo a correr
Sem escola e sem esmola

Em vez dos ais e dos eus
Eram mil formas de Deus
E a nossa fala era dele
Língua anterior a papel

No agora de outrora
Depois do caldo esfriar
Sem o tempo nos faltar
Sem espécie, sem espera

Eram mil formas de Deus
Que nos caíam dos céus
Que nos caíam dos céus
Só uma fala existia
Língua da feitiçaria

No agora de outrora
Depois do sopro animar
Cada nova criatura
Sem mal e sem cura

Eram mil formas de Deus
E não cordeiros e réus
E não diabos e virgens
A interrogar as origens
Cada folha sol dizia
E cada pedra cantava
Cada folha sol dizia
E cada pedra cantava

Correndo a água narrava
O fumo exprimia o lume
O vapor pavor contava
A neve chamava o cume

O fogo ardia a brincar
As terras secas boiavam
O céu tinha um ar de mar
Os anjos proliferavam

Cobra entendia rochedo
Rochedo entendia musgo
Musgo entendia arvoredo
Todos entendiam tudo
https://genius.com/Tres-tristes-tigres-lingua-franca-lyrics