quarta-feira, outubro 29, 2014

Viver

Azulejo. Porto (Portugal)

Como diria o António Variações (Portugal, séc. XX), Quero é viver!
A frase de Cícero (Roma, séc. II) na arte popular, e pública, e portuguesa: azulejo, no Porto.

Fonte: Banco de Materiais, Catálogo Padrão de azulejos (2014)

segunda-feira, outubro 27, 2014

Poema da necessidade


É preciso casar João,
é preciso suportar Antônio,
é preciso odiar Melquíades,
é preciso substituir nós todos.

É preciso salvar o país,
é preciso crer em Deus,
é preciso pagar as dívidas,
é preciso comprar um rádio,
é preciso esquecer fulana.
É preciso estudar volapuque,
é preciso estar sempre bêbedo,
é preciso ler Baudelaire,
é preciso colher as flores
de que rezam velhos autores.

É preciso viver com os homens,
é preciso não assassiná-los,
é preciso ter mãos pálidas
e anunciar o fim do mundo.



Carlos Drummond de Andrade  

Dilma elege reforma do sistema político e combate à corrupção como prioridades do mandato



"27 por cento dos brasileiros com capacidade eleitoral não escolheram nenhum dos dois candidatos à presidência do país. A abstenção fixou-se nos 21 por cento e os votos brancos e nulos nos 6 por cento""O Brasil é um dos 31 países do mundo onde o voto é obrigatório, sendo apenas facultativo para analfabetos, idosos com mais de 70 anos e jovens com mais de 16 e menos de 18 anos. Quem não comparecer às urnas, apesar de poder anular ou justificar a ausência, pode ter sérios problemas com a Justiça, como ser proibido de concorrer a concursos públicos, fazer empréstimos bancários, tirar o passaporte e cartão de cidadão ou renovar a matrícula em universidades públicas.

A obrigatoriedade do voto foi introduzida em 1932, altura em que apenas 10 por cento da população detinha capacidade eleitoral, pelo direito, à época, estar vedado a analfabetos. Atualmente, segundo o Tribunal Superior Eleitoral, 70 por cento da população brasileira está apta a votar."
 "Entre as reformas, a primeira e mais importante deve ser a reforma política. Meu compromisso, como ficou claro durante toda a campanha, é deflagrar esta reforma", destacou a recém reeleita Presidente. Dilma também se comprometeu com o combate à corrupção prometendo fortalecer "as instituições de controlo e propondo mudanças na legislação atual para acabar com a impunidade".
Dilma Roussef reeleita Presidente do Brasil | Esquerda

domingo, outubro 26, 2014

Falará por sua boca



Quantas coisas quisera hoje dizer, brasileiros,
quantas histórias, lutas, desenganos, vitórias,
que levei anos e anos no coração para dizer-vos, pensamentos
e saudações. Saudações das neves andinas,
saudações do Oceano Pacífico, palavras que me disseram
ao passar os operários, os mineiros, os pedreiros, todos
os povoadores de minha pátria longínqua.
Que me disse a neve, a nuvem, a bandeira?
Que segredo me disse o marinheiro?
Que me disse a menina pequenina dando-me espigas?
Uma mensagem tinham. Era: Cumprimenta Prestes.
Procura-o, me diziam, na selva ou no rio.
Aparta suas prisões, procura sua cela, chama.
E se não te deixam falar-lhe, olha-o até cansar-te
e nos conta amanhã o que viste.
Hoje estou orgulhoso de vê-lo rodeado
por um mar de corações vitoriosos.
Vou dizer ao Chile: Eu o saudei na viração
das bandeiras livres de seu povo.
Me lembro em Paris, há alguns anos, uma noite
falei à multidão, fui pedir auxílio
para a Espanha Republicana, para o povo em sua luta.
A Espanha estava cheia de ruínas e de glória.
Os franceses ouviam o meu apelo em silêncio.
Pedi-lhes ajuda em nome de tudo o que existe
e lhes disse: Os novos heróis, os que na Espanha lutam, morrem,
Modesto, Líster, Pasionaria, Lorca,
são filhos dos heróis da América, são irmãos
de Bolívar, de O' Higgins, de San Martín, de Prestes.
E quando disse o nome de Prestes foi como um rumor imenso.
no ar da França: Paris o saudava.
Velhos operários de olhos úmidos
olhavam para o futuro do Brasil e para a Espanha.
Vou contar-vos outra pequena história.
Junto às grandes minas de carvão, que avançam sob o mar,
no Chile, no frio porto de Talcahuano,
chegou uma vez, faz tempos, um cargueiro soviético.
Quando a noite chegou
vieram aos milhares os mineiros, das grandes minas,
homens, mulheres, meninos, e das colinas,
com suas pequenas lâmpadas mineiras,
a noite toda fizeram sinais, acendendo e apagando,
para o navio que vinha dos portos soviéticos.
Aquela noite escura teve estrelas:
as estrelas humanas, as lâmpadas do povo.
Também hoje, de todos os rincões
da nossa América, do México livre, do Peru sedento,
de Cuba, da Argentina populosa,
do Uruguai, refúgio de irmãos asilados,
o povo te saúda, Prestes, com suas pequenas lâmpadas
em que brilham as altas esperanças do homem.
Por isso me mandaram, pelo vento da América,
para que te olhasse e logo lhes contasse
como eras, que dizia o seu capitão calado
por tantos anos duros de solidão e sombra.
Vou dizer-lhe que não guardas ódio.
Que só desejas que a tua pátria viva.
E que a liberdade cresça no fundo
do Brasil como árvore eterna.
Eu quisera contar-te, Brasil, muitas coisas caladas,
carregadas por estes anos entre a pele e a alma,
sangue, dores, triunfos, o que devem se dizer
o poeta e o povo: fica para outra vez, um dia.
Peço hoje um grande silêncio de vulcões e rios.
Um grande silêncio peço de terras e varões.
Peço silêncio à América da neve ao pampa.
Silêncio: com a palavra o Capitão do Povo.
Silêncio: que o Brasil falará por sua boca.


Pablo Neruda
Poema lido no Estádio do Pacaembu, a 15 de julho de 1945  

sexta-feira, outubro 24, 2014

Que caminho tão longo, que viagem tão comprida Alice Brito - refundar o Bloco moção B



Vivemos tempos ferozes e complexos, para os quais a esquerda tradicional não tem dado alternativas. Tem sido cega e preguiçosa. Tem sido incapaz de abrir as portas à avalanche de questões com que a complexidade do social de hoje a tem confrontado. Tem sido cúmplice do patriarcado, tem sido omissa em relação à ecologia.  

É tempo de recuperar o tempo. E este tempo tem sido o específico tempo da feminização do trabalho produzido pela globalização capitalista. Conjugar o anti capitalismo com a luta feminista sem que cada uma destas lutas se atropele uma à outra, é por certo o desafio que se coloca hoje a ambos os movimentos. 


Que caminho tão longo, que viagem tão comprida Alice Brito - refundar o Bloco moção B

quinta-feira, outubro 23, 2014

O Bloco, o desafio de unidade e luta contra a austeridade - Mário Gómez Olivares - refundar o Bloco moção B



A chave da solução para uma mudança na política seguida ate agora, esta na mobilização social em conjunto com a movimentação politica tendente a gerar um quadro de convergência, de alianças políticas das forças a esquerda. O Bloco deve dialogar com todos sem excepção e propor uma plataforma anti austeridade, mas deve ir mais longe, procurando acordos transversais com todos os que estão contra esta política, no mesmo sentido que dirigentes do Bloco tem feito em iniciativas como o Manifesto dos 73, pêlo que não se deve excluir acordos e negociações com ninguém.


O Bloco, o desafio de unidade e luta contra a austeridade - Mário Gómez Olivares - refundar o Bloco moção B

Algumas ideias sobre como recuperar a organização chamada Bloco de Esquerda - Jorge Candeias - refundar o Bloco moção B

A boa notícia é que ainda vamos a tempo de evitar que esta nossa organização siga o caminho típico de todas as outras. Ainda vamos a tempo de refrescá-la, de lhe devolvermos a razão de existir. De a devolvermos à sua função original de representação de uma nuvem de ideologias diversas de esquerda e de renovação do sistema político-partidário. Para isso precisamos urgentemente de três coisas:

1. Democratização interna radical, abandonando de uma vez por todas tendências hegemonizantes que só poderão contribuir para o esfrangalhamento de uma organização como a nossa, entregando às bases, na prática e não apenas em teoria, as rédeas do movimento.

2. Abertura significativa ao exterior, chamando para conversar e trabalhar connosco tanto simpatizantes como independentes, tanto organizações sociais como os partidos que nos rodeiam. Ou seja: precisamente o inverso do rumo seguido nos últimos anos.

3. Acarinhar os desalinhados dentro do próprio Bloco, porque ao longo da evolução das organizações são os desalinhados que melhor se apercebem dos sinais iniciais de fossilização e são eles quem tem mais condições para conceber planos viáveis que a evitem. Embora sejam uma força extremamente útil noutros aspetos da vida de um partido, para esse fim específico os alinhados são piores que inúteis: são uma parte significativa do problema. Uma organização que queira evitar fossilizar-se deve ter, portanto, a capacidade para ouvir com muita atenção o que os seus desalinhados têm a dizer. Eles nem sempre terão razão, mas partir do princípio de que não a têm pelo simples facto de serem desalinhados é o caminho mais direto para o desastre.


Algumas ideias sobre como recuperar a organização chamada Bloco de Esquerda - Jorge Candeias - refundar o Bloco moção B

Este é o tempo. Este é o nosso tempo


Não há nada pior que o conformismo que nos torna insensíveis, do que a indiferença que nos torna desumanos.

Antes sozinho toda a vida / que ter um coração que mente

sábado, outubro 18, 2014

Information Literacy Interactive Tutorial

Imagem daqui

O que é Literacia da Informação?
Em poucas palavras, literacia da informação diz respeito a como encontramos a informação de que necessitamos mais rapidamente e como a utilizamos de forma efetiva.
Desenvolvendo competências de literacia da informação, iremops compreender como abordar a informação de que precisamos, saber onde procurar por ela, como a encontrar, avaliar se ela é fiável ou não, e partilhar efetivamente a nossa informação com outros
What is information literacy?

In a nutshell, information literacy is about how to find the information you need quickly and use it effectively.

By gaining information literacy skills, you will understand how to approach your information need, know where to look for information, how to find it, judge whether it is reliable and useful, and share your information effectively with others.

Um recurso que pode ajudar a desenvolver a literacia da informação nas escolas e em toda a parte, que nos chega da Escócia (UK) pela mão do Institute for Research and Innovation in Social Services (IRISS), que considera, e bem, que a iliteracia é um problema essencial para o desenvolvimento social.

Ler mais aqui:

Information Literacy Interactive Tutorial

terça-feira, outubro 14, 2014

Leitores, leitura social, nuvem e crise

(...) como dice la filósofa Marina Garcés: “Es interesante ver cómo en un momento de destrucción de la vida colectiva y de acoso a las personas como el que estamos viviendo, la lectura y quizás más aún la escritura, reaparece como una práctica que hace comunidad o, más bien, que organiza y articula comunidades muy concretas: grupos de lectura, bibliotecas populares, colecciones digitales, puntos de intercambio de libros, librerías pequeñas, especializadas y alternativas, proyectos editoriales independientes vinculados a grupos de aficionados a determinadas corrientes o prácticas literarias, blogs, plataformas, etc.”
A promoção de leitura atreve-se em novos modelos, com renovada adesão de leitores.



Nuevos modelos de promoción de la lectura - BiblogTecarios

segunda-feira, outubro 13, 2014

Stabat Mater

Nada te turbe,
Nada te espante,

Todo se pasa.

Dios no se muda.

La paciencia

Todo lo alcanza;

Quien a Dios tiene

Nada le falta



Teresa de Jesus (séc. XVI)

via Luis António Alìas, séc. XXI


.

quinta-feira, outubro 02, 2014

O Marketing secreto (legendado)


Muito bom.

Nunca se deve subestimar o poder da ignorância intencional... e nunca se deve deixar de a combater.

Viver



"Aqui tem você um conselho que lhe poderá servir para a sua filosofia: não force, nunca; seja paciente pescador neste rio do existir. Não force a arte, não force a vida, nem o amor nem a morte. Deixe que tudo suceda como um fruto maduro que se abre e lança no solo as sementes fecundas. Que não haja em si, no anseio de viver, nenhum gesto que lhe perturbe a vida"
- Agostinho da Silva, Sete Cartas a um Jovem Filósofo.