segunda-feira, julho 27, 2015

Nu te fermare - Canzoniere Grecanico Salentino



CGS: "Pizzica Indiavolata è la musica di una terapia, figlia della tradizione del tarantismo, fatta per esorcizzare però, col suono di una musica allo stesso tempo ancestrale e moderna, i mali dei nostri giorni".


Pizzicca Indiavolata é a música de uma terapia, filha da tradição do tarantismo (tarantela), feita para exorcizar, mas com o som de uma música ao mesmo tempo ancestral e moderna, os males dos nossos dias.

sábado, julho 25, 2015

Oakville, 2015

Oakville, 2015. (com photoshop) Foto José Sousa Dias

Ler, viver



CARTA PARA STELLA E FRED, MEUS IRMÃOS

Esta carta que é só nossa, e é
um grande segredo,
desde os anos já volvidos,
repõe a boiar a nossa infância.

Os anos passam, e rolam
já temos os três cinquenta,
com muita trama da vida, glicínias, espinhos
e outras plantas só para nós três.

Bichos de seda, lembram-se?
Nós à espera, à espera da borboleta branca
que perfura o seu berço fechado a sete véus -
nasce e logo foge e morre.
- A minha voou pelo espaço;
e as vossas? Onde foram?

Agarrem manos, agarrem!
na primavera há sempre borboletas.
apesar dos paraísos e infernos.

Vamos à vida, manos, vamos,
que ela só tem um vôo
como as borboletas dos bichinhos de seda
da nossa infância distante.

BENS ADQUIRIDOS
(Guimarães Editores)
Margarida Futscher

1920-1981

terça-feira, julho 21, 2015

'Queremos promover masculinidades não violentas'



De onde virá a “revolução”?
Da socialização. Fizemos estudos que mostram como há uma transmissão da violência de geração para geração. Se a prática do cuidado for disseminada nessa lógica, conseguiremos promover a transmissão geracional deste valor.
A senhora fala muito da importância de se trabalhar a masculinidade. Que “masculinidade” é essa?
Queremos promover masculinidades não violentas. A masculinidade é construída em torno de conceitos como racionalidade, razão, frieza e violência. A mulher fica com emoção e paz. O nó está nessa dinâmica de oposição e antítese.
Esse esforço fica ofuscado no debate de gênero?
O mundo tem avançado nos últimos 20 anos. Estamos mais perto do que longe do ideal. Para mim, não há distinção entre o movimento de masculinidades e o feminismo. Mas existe ainda a tendência de fratura. O investimento visa a respostas imediatas para as vítimas de violência, o que é necessário. Mas, se queremos também a prevenção e os agressores são homens, não podemos trabalhar só com mulheres

Leia mais sobre esse assunto em 
© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 


Tatiana Moura, socióloga: 'Queremos promover masculinidades não violentas' - Jornal O Globo

segunda-feira, julho 13, 2015

Viagens filosóficas: Exposição em Coimbra leva-nos até ao fim do mundo vivo de setecentos - PÚBLICO




 Inaugurada em meados de Maio,Natureza Exótica – Viagens Filosóficas de Naturalistas pode ser visitada até 11 de Outubro, de terça-feira a domingo.

Para realizar a exposição, o Museu da Ciência estabeleceu uma parceria com o Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa, que forneceu as ilustrações e parte dos artefactos. “O objectivo da exposição é associar a cada espécime a respectiva ilustração feita pelo riscador que acompanhava o naturalista na viagem”, explica Pedro Casaleiro.
Viagens filosóficas: Exposição em Coimbra leva-nos até ao fim do mundo vivo de setecentos - PÚBLICO

terça-feira, julho 07, 2015

Herberto Helder :: Quem fabrica um peixe fabrica duas ondas / Dito por F...

"O Brasil são mil ideias"

Flip 2015 - Roberto Saviano : não há tráfico sem aliança com burguesia

Mapa das letras que compoem o genoma humano



A História de Portugal contada pelos nossos genes - PÚBLICO (2011)



Ler mais aqui

(2012) http://www.paisefilhos.pt/index.php/actualidade/noticias/5370-genoma-humano-tem-novo-mapa

(2015) http://dererummundi.blogspot.pt/2015/02/novo-mapa-do-epigenoma-humano-e-o.html


As 100 linguagens dos meninos



Video inspirado no poema de Loris Malaguzzi
(versão em português minha)

E ao invés o cem existe


A criança / é feita de cem.

A criança tem / cem línguas / cem mãos / cem pensamentos / cem modos de pensar / de brincar de falar / cem sempre cem / modos de escutar / de ficar sem palavras de amar / cem alegrias / para cantar e entender

cem mundos / para descobrir / cem mundos / para inventar / cem mundos / para sonhar.

A criança tem / cem línguas / (e mais cem cem cem) / mas roubam-lhe noventa e nove.

Dizem-lhe: / para pensar sem mãos / para fazer sem cabeça / para escutar e não falar / para entender sem alegrias / para amar e para ficar sem palavras / só na Páscoa e no Natal.

Dizem-lhe: / para descobrir o mundo que já é / e dos cem / roubam-lhe noventa e nove.

Dizem-lhe: / que o brincar e o trabalhar / a realidade e a fantasia / a ciência e a imaginação / o Céu e a Terra / a razão e o sonho / são coisas / que não se juntam.

Dizem-lhe em suma / que o cem não existe.
A criança diz: / o cem existe.
Loris Malaguzzi



A partir do original, em PensieriParole

Invece il cento c’è

Il bambino

è fatto di cento.

Il bambino ha
cento lingue
cento mani
cento pensieri
cento modi di pensare
di giocare e di parlare

cento sempre cento
modi di ascoltare
di stupire di amare
cento allegrie
per cantare e capire

cento mondi
da scoprire
cento mondi
da inventare
cento mondi
da sognare.

Il bambino ha
cento lingue
(e poi cento cento cento)
ma gliene rubano novantanove.

Gli dicono:
di pensare senza mani
di fare senza testa
di ascoltare e di non parlare
di capire senza allegrie
di amare e di stupirsi
solo a Pasqua e a Natale.

Gli dicono:
di scoprire il mondo che già c’è
e di cento
gliene rubano novantanove.

Gli dicono:
che il gioco e il lavoro
la realtà e la fantasia
la scienza e l’immaginazione
il cielo e la terra
la ragione e il sogno
sono cose
che non stanno insieme.

Gli dicono insomma
che il cento non c’è.
Il bambino dice:
invece il cento c’è.
Loris Malaguzzi