quarta-feira, junho 11, 2008

Há 9 anos. Manifesto da Biblioteca Escolar IFLA/Unesco - 1999

A Biblioteca Escolar no Ensino-Aprendizagem Para Todos Manifesto da Biblioteca Escolar da IFLA/UNESCO


A biblioteca escolar proporciona informação e ideias fundamentais para sermos bem sucedidos na sociedade actual, baseada na informação e no conhecimento. A biblioteca escolar desenvolve nos estudantes competências para a aprendizagem ao longo da vida e desenvolve a imaginação, permitindo-lhes tornarem-se cidadãos responsáveis.




Missão da Biblioteca Escolar.
A biblioteca escolar disponibiliza serviços de aprendizagem, livros e recursos que permitem a todos os membros da comunidade escolar tornarem-se pensadores críticos e utilizadores efectivos da informação em todos os suportes e meios de comunicação. As bibliotecas escolares
articulam-se com as redes de informação e de bibliotecas de acordo com os princípios do Manifesto da Biblioteca Pública da UNESCO.

O pessoal da biblioteca apoia a utilização de livros e outras fontes de informação, desde obras de ficção a documentários, impressas ou electrónicas, presenciais ou remotas. Os materiais complementam e enriquecem os manuais escolares, materiais e metodologias de ensino.
Está comprovado que quando os bibliotecários e os professores trabalham em conjunto, os estudantes alcançam níveis mais elevados de literacia, leitura, aprendizagem, resolução de problemas e competências no domínio das tecnologias de informação e comunicação.
As bibliotecas escolares devem disponibilizar os seus serviços de igual modo a todos os membros da comunidade escolar, independentemente da idade, raça, sexo, religião, nacionalidade, língua e estatuto profissional ou social. Aos utilizadores que, por qualquer razão, não possam utilizar os
serviços e materiais comuns na biblioteca, devem ser disponibilizados serviços e materiais específicos.
O acesso aos serviços e colecções deve orientar-se pela Declaração Universal dos Direitos e Liberdades do Homem das Nações Unidas e não deverá ser sujeito a nenhuma forma de censura ideológica, política ou religiosa ou a pressões comerciais.

Financiamento, legislação e redes
A biblioteca escolar é essencial a qualquer estratégia de longo prazo nos domínios da literacia, educação, informação e desenvolvimento económico, social e cultural. Sendo da responsabilidade das autoridades locais, regionais ou nacionais, a biblioteca escolar deve ser apoiada por legislação e políticas específicas. As bibliotecas escolares devem possuir meios adequados para assegurar a existência de pessoal com formação, materiais, tecnologias e equipamentos e ser de utilização gratuita.
A biblioteca escolar é um parceiro essencial das redes local, regional e nacional de bibliotecas e de informação.
Sempre que a biblioteca escolar partilhe equipamentos e/ou recursos com outro tipo de biblioteca, designadamente com a biblioteca pública, os objectivos únicos da biblioteca escolar devem ser reconhecidos e mantidos.

Objectivos da biblioteca escolar
A biblioteca escolar é parte integrante do processo educativo.
Os objectivos seguintes são essenciais ao desenvolvimento da literacia, das competências de informação, do ensino, da aprendizagem e da cultura e correspondem a serviços básicos da biblioteca escolar:
• Apoiar e promover os objectivos educativos delineados de acordo com as finalidades e curriculum da escola;
• Desenvolver e manter nas crianças o hábito e o prazer da leitura e da aprendizagem, e também da utilização das bibliotecas ao longo da vida;
• Proporcionar oportunidades de produção e utilização de informação para o conhecimento, compreensão, imaginação e divertimento;
• Apoiar os estudantes na aprendizagem e prática de capacidades de avaliação e utilização da informação, independentemente da natureza, suporte ou meio, usando de sensibilidade relativamente aos modos de comunicação de cada comunidade;
• Providenciar acesso aos recursos locais, regionais, nacionais e globais e às oportunidades que exponham os estudantes a ideias, experiências e opiniões diversificadas;
• Organizar actividades que favoreçam a tomada de consciência cultural e social e a sensibilidade;
• Trabalhar com os estudantes, professores, administradores e pais de modo a alcançar as finalidades da escola;
• Defender a ideia de que a liberdade intelectual e o acesso à informação são essenciais à construção de uma cidadania efectiva e responsável e à participação na democracia;
• Promover a leitura e os recursos e serviços da biblioteca escolar junto da comunidade escolar e do meio.
A biblioteca escolar cumpre estas funções desenvolvendo políticas e serviços, seleccionando e adquirindo recursos, proporcionando acesso físico e intelectual a fontes de informação apropriadas, disponibilizando equipamentos educativos e dispondo de pessoal treinado.

Pessoal
O bibliotecário escolar é o elemento do corpo docente profissionalmente habilitado, responsável pelo planeamento e gestão da biblioteca escolar. É apoiado por um equipa tão adequada quanto possível, trabalhando em conjunto com todos os membros da comunidade escolar e em ligação com a biblioteca pública e outras.
O papel dos bibliotecários escolares varia consoante o orçamento, curriculum e metodologias de ensino das escolas, de acordo com o quadro legal e financeiro nacional. Em termos específicos, existem grandes áreas de conhecimento que são vitais se os bibliotecários escolares desejarem
desenvolver serviços efectivos nas bibliotecas escolares: gestão de recursos, gestão de bibliotecas e de informação e ensino.
Num ambiente cada vez mais integrado pelas redes de informação, os bibliotecários escolares devem possuir competências para planear e ensinar diferentes habilidades no tratamento da informação tanto a professores como a estudantes. Devem, por conseguinte, prosseguir a sua formação e desenvolvimento profissionais.

Funcionamento e Gestão
Para garantir a eficácia e avaliação dos serviços:
• A política de serviços da biblioteca escolar deve ser formulada de modo a definir objectivos, prioridades e serviços em articulação com o curriculum escolar;
• A biblioteca escolar deve ser organizada e mantida de acordo com standards profissionais;
• Os serviços devem ser acessíveis a todos os membros da comunidade escolar e funcionar dentro do contexto da comunidade local;
A cooperação com professores, gestores escolares experientes, administradores, pais, outros bibliotecários e profissionais de informação, e grupos da comunidade deve ser estimulada.

Aplicação do Manifesto
Os governos, por intermédio dos seus ministros da educação, são convidados a desenvolver estratégias, políticas e planos que implementem os princípios deste Manifesto. Estes planos devem prever a divulgação do Manifesto nos programas de formação inicial e contínua de bibliotecários e de professores.
Incentivam-se todos os decisores a nível local e nacional e a comunidade de bibliotecários em todo o mundo a aplicar os princípios deste Manifesto.

O Manifesto foi preparado pela Federação Internacional de Associações de Bibliotecários e Bibliotecas e aprovado pela UNESCO na sua Conferência Geral em Novembro de 1999. Trad. portuguesa da Rede de Bibliotecas Escolares

Há 30 anos. Manifesto da IFLA/Unesco Para as Bibliotecas Escolares (1ª versão)

Manifesto da UNESCO


Origens do Manifesto

1976 : a Comissão Australiana da UNESCO promoveu um seminário sobre Planeamento e Desenvolvimento de Bibliotecas Escolares. Uma das recomendações desse seminário refreia a preparação de um “Manifesto das Bibliotecas escolares “ semelhante ao “Manifesto das Bibliotecas Públicas” da UNESCO.

1978 : a Comissão Australiana da UNESCO envia um esboço preliminar deste documento, preparado pela Associação Australiana de Bibliotecas Escolares, ao Secretariado da UNESCO.

1980: esta questão foi discutida no Encontro da Secção de Bibliotecas Escolares da IFLA (International Federation of Library Associations), em Manila, recebendo apoio e aprovação unânimes. Em Novembro deste ano, a UNESCO confirma o Manifesto como seu documento oficial



MANIFESTO DA UNESCO SOBRE MEDIATECAS ESCOLARES
A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura foi fundada para promover a paz e a felicidade, agindo sobre o espírito dos homens e das mulheres. O presente Manifesto proclama que os serviços das mediatecas escolares são essenciais para uma efectiva educação de todas as crianças e adolescentes, e que a educação é um agente vital na manutenção da paz e do entendimento entre povos e nações.

Serviço de Mediatecas Escolares
Um efectivo serviço de mediatecas escolares é essencial para o cumprimento do projecto educativo de escola e uma componente necessária do conjunto de serviços de bibliotecas. Um serviço eficaz de mediateca escolar deverá :

  • dar apoio constante ao programa de ensino e aprendizagem e propiciar mudanças na educação ;

  • assegurar o máximo acesso a uma gama de recursos e serviços tão vastos quanto possível;

  • fornecer aos estudantes as capacidades básicas para obter e usar a máxima diversidade de recursos e de serviços ;

  • habituá-los à utilização das bibliotecas, para divertimento, informação e educação contínua.

Para alcançar estes objectivos, a mediateca escolar necessita de :

  • pessoal com qualificações profissionais quer em biblioteconomia quer em educação, assistido por pessoal de apoio em número suficiente ;

  • colecções adequadas de materiais seleccionados, impressos e audiovisuais ;

  • espaço adequado para organizar estes recursos, de modo a assegurar o acesso fácil aos serviços e a sua utilização racional.

Extensão dos serviços
Os serviços da mediateca deverão proporcionar :

  • Uma grande variedade de materiais impressos e audiovisuais. Estes materiais precisam de ser avaliados, seleccionados, adquiridos e organizados para uso, de acordo com os procedimentos reconhecidos para facilitar o acesso, assegurar a utilização e evitar a desnecessária duplicação de materiais.A palavra impressa tem sido tradicionalmente aceite registar e comunicar conhecimentos, ideias e informação. Livros, jornais e revistas continuam a ser os recursos mais importantes das bibliotecas escolares. Contudo, a tecnologia criou novas formas de registo que fazem parte, cada vez mais, do acervo da biblioteca. Estas formas incluem a impressão em formatos reduzidos para armazenagem e transporte, filmes, diapositivos, discos, fitas magnéticas audio e vídeo, objectos tácteis, maletas multimedia e “realia”;

  • Materiais que sirvam as necessidades específicas quer das crianças sobredotadas quer das que revelem lentidão na aprendizagem, bem como de outras com situações diferenciadas;

  • Instalações, equipamento e materiais para trabalho individual e para trabalho em grupo;

  • Oportunidades para a satisfação pessoal, o divertimento e o estímulo da imaginação ;

  • Recursos para encorajar a pesquisa e o desenvolvimento de técnicas de estudo ;

  • Materiais para o aperfeiçoamento profissional dos professores e para a selecção e produção de recursos que apoiem o desenvolvimento curricular, a programação e a avaliação do curriculum.

Partilhando recursos
Este Manifesto reconhece como essencial o envolvimento de toda a comunidade no planeamento do conjunto de serviços de bibliotecas. Tal envolvimento deveria beneficiar todos os grupos envolvidos. O seu principal objectivo é satisfazer as necessidades dos estudantes e professores ; contudo, a mediateca escolar deve ser considerada como um elemento da rede de bibliotecas que pode contribuir para o serviço global das bibliotecas da comunidade, de acordo com os recursos de que dispõe.


in CARROLL, F. Laverne, e BEILKE, P.F. Guidelines for Planning and Organization of School Library Media Centre. Paris : UNESCO, 1979.
Estas Guidelines e outras posteriores
apoiam a promoção deste Manifesto, e podem ser solicitadas à IFLA, Secção 11. Bibliotecas Escolares e Centros de Recursos Educativos, ou à UNESCO, Division of PGI, 7, Place de Fontenoy, 75 700 Paris, França.