terça-feira, maio 31, 2005

A propósito do NON - Pedi emprestado ao Bicho Carpinteiro

A Trapalhada Europeia

Qualquer coisa me diz que o NAO em França acabará por ser positivo para o triunfo de uma visão mais à esquerda da U E. e para um melhor relacionamento emtre os Estados-membros.
Desde1992 que se assiste a uma fuga para a frente sem ter em conta o estado da opinião nos diferentes países. A arrogãncia com que os convencionais sem mandato chamaram Constituição ao presente diploma acabou ontem. O povo de esquerda em França desautorizou a sua representação na convenção a começar pelo seu presidente, o tambem françês Giscard D'Estaing. Mas PR, Chirac, governo de direita e PS de François Hollande tambem sofrem na respectiva proporção. Laurent Fabius é o grande vencedor à esquerda pois teve a coragem de se desatrelar da carruagem onde viajam pela Europa fora os socialistas passivos ou pacientes.
As causas da vitória do Não em França não são só internas.Longe disso. Desde 1992 que aumentou a insegurança das populações e a desconfiança entre Estados dada a mutação permanente de objectivos e de regras na U E. O último alargamento foi conduzido sem nenhuma espécie de racionalidade.Os inimigos da U E não teriam feito melhor.
Em Portugal os reciclados de várias aventuras agarraram-se à dogmática europeia com fervor. Haverá agora mais pensamento crítico entre nós?

segunda-feira, maio 23, 2005

Amina não sabe ler

Uma menina chamada Amina que não sabe ler, que me faz apertar o coração. Menina e mãe, aguarda a morte num país em que as mulheres, como diz o Daniel, são um pano negro com dois olhos.
Neste mesmo mundo, à distância de umas horas de avião, a vida que tão poucos defendem, ou tão mal se defende. Apetece gritar, e ninguém grita, apetece chamar e ninguém chama... ecos de um poema da minha infância, rastos dos olhares que tantas vezes encontro, menos pano negro por fora, cheios de lutos por dentro.
Amina não sabe que eu sei dela, e tudo isto afinal é pouco demais para transformar as coisas.
Nunca deem o nome de Amina a uma menina. Lembra esta, de Sanaa, Iemen, condenada por um crime que não cometeu, por ser fraca e mulher, e a outra, a da Nigéria, condenada por ser mulher e não cumprir a sharia, ou lá o que os homens da terra dela querem que haja para confirmar que as mulheres são fracas e perigosas. Gritem o nome de Amina, que não sabe ler, como milhões de mulheres no planeta. Nestas coisas da leitura e das condenações à morte, as mulheres detêm a maior cota. Ainda. E o mundo é certamente muito pior por isso

domingo, maio 15, 2005

Leitura partilhada - vale a pena visitar este blog, com moderação

Maleitas do Leitor Compulsivo

«Tanto naquelas leituras se enfrascou, que as noites se lhe passavam a ler desde o sol-posto até à alvorada, e os dias, desde o amanhecer até ao fim da tarde. E assim, do pouco dormir e do muito ler se lhe secou o cérebro, de maneira que chegou a perder o juizo.» (capítulo I)

Nessa altura seria aconselhável que os livros fossem postos à venda com uma etiqueta "leia com moderação. Leitura compulsiva pode secar-lhe o cérebro e fazer de si um cavaleiro andante"...

Está no blog Leitura partilhada, que agora a anda a ler Dom Quijote, esse mesmo, o de Cervantes
Sobre o autor e a obra:
Fundación Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes
Proyecto Cervantes


segunda-feira, maio 09, 2005

Questionário de Leeds

(Desafio do Mal)

1-Não podendo sair do Fahrenheit 451, que livro quererias ser?

Sairia do Farenheit, ou escrevia de cabeça mais livros. Recuso a ideia de monoleitura: no mínimo, estéreo

2- Já alguma vez ficaste perturbado por uma personagem de ficção?

Sim, muitas vezes

3- O último livro que compraste?

O gato e o escuro, Mia Couto (para dar)

4- O último livro que leste?

O medo de existir, José Gil


5- Que livros estás a ler?

As lições dos mestres, George Steiner

Evidentemente, António Nóvoa

6- Seis livros que levarias para uma ilha deserta?

Alice no País das Maravilhas, L. Carroll
Os livros de Coetzee
O Quixote, Cervantes
O princepezinho, Saint-Exupery
Os poemas da Sophia
Autobiografia, Agatha Christie
1+1=1, Almada Negreiros
São mais de 6? Não faz mal, dão-se ou perdem-se sempre alguns pelo caminho....

7 – Três pessoas a quem vais passar este testemunho e porquê?

Ao Miguel Horta, ao Zé Sousa Dias, à Aninhas. Porque leem sempre de mais maneiras que eu

Sejas Feliz


O Tejo quase de noite
No rio Tejo, que passa perto da minha casa, há um bote que se chama Sejas Feliz
Posted by Hello

Ler como se tudo tivesse sido escrito de outra maneira?


Manhattan, 1609 - assombrosa história de leitura sub-actual, agradecendo ao Barnabé pela indicação. Às vezes quando vejo o Tejo de noite, ainda me parece assim o mundo Posted by Hello

quarta-feira, maio 04, 2005


Há dias assim, capazes de cerejas! Posted by Hello

Ler-se por benefício de catástrofe suspensa

A minha filosofia de vida alterou-se recentemente devido a uma doença grave a que sobrevivi.
Dantes, a frase «nunca ninguém se arrependeu à hora da morte de não ter passado tempo suficiente no escritório» era uma pequena verdade engraçada; agora é uma evidência.
Sou professor e gosto de o ser. O produto do meu trabalho é a interjeição «ahá» proferida por quem não entendia uma coisa e agora entende. Não sei qual é o valor de mercado dessa interjeição, por isso não posso dizer se sou bem pago ou mal pago.

no blog do zé luís, professor hobbesiano